sexta-feira, 23 de junho de 2017

Resenha: Namorado de Aluguel - Kasie West


    Olá amigos da raposinha!
    Hoje nós vamos falar de um romance super fofo, divertido e com algumas reflexões. (Um dos meus estilos literários favoritos.) O livro é Namorado de Aluguel, que nos fez suspirar e roer as unhas torcendo pelo final feliz.

      Gia é uma adolescente popular em sua escola que faz de tudo para ser aceita, principalmente no seu grupo de amigas. Sua vida entra em colapso devido ao término do recente namoro, no dia de sua formatura. Por medo da reação de sua rival Gia convence um completo estranho a se passar por seu namorado Bradley, mas o que ela não esperava era que poderia se interessar pelo garoto desconhecido.
     Estava visitando um blog de livros e fiquei muito curiosa para ler depois de ter visto a resenha dele e confesso que não me decepcionei em nenhum momento. É definitivamente um livro que tinha tudo para ser clichê, entretanto autora Kasie West nos surpreende no desenvolvimento da trama.
     O romance é bem construído em todas as suas fases, a história é relatada em primeira pessoa e Gia (a protagonista) consegue nos conquistar em cada capítulo com sua bondade e determinação. E é impossível não se apaixonar por seu namorado de aluguel (DDB), um garoto misterioso que apareceu em um momento oportuno, mas que não deixou ser esquecido por seu olhar enigmático e carisma.
      A história também aborda temas interessantes como: A síndrome de aceitação que sempre foi um fator muito difícil de lidar, o risco de viver de aparências o uso abusivo da internet e também sobre lealdade e amizade.

“Antes de te conhecer, - comecei falando bem devagar, - eu tinha um plano. Sabia o que queria. E achava que me conhecia. Sabia como seria cada semana dos próximos anos da minha vida. Mas agora não tenho mais companheira de quarto que devia ter, nem namorado, nem o plano. Acabou. Não sei mais o que quero. - Não sabe o que quer? A voz dele era rouca...”

Existem pessoas que passam pela nossa vida e não acrescentam nada, mas há aquelas que provocam a mudança para melhor, foi isso que aconteceu com Gia e seu namorado de aluguel. 

Mas será que essa relação que começou de uma maneira bem inusitada pode dar certo?


Por Myh e Danny Barreto 

terça-feira, 16 de maio de 2017

Resenha do livro: A Prisão do Rei Série: A Rainha Vermelha Vol. 3 - Victoria Aveyard


Sinopse:

Mare Barrow foi capturada e passa os dias presa no palácio, impotente sem seu poder, atormentada por seus erros. Ela está à mercê do garoto por quem um dia se apaixonou, um jovem dissimulado que a enganou e traiu. Agora rei, Maven continua com os planos de sua mãe, fazendo de tudo para manter o controle de Norta — e de sua prisioneira. Enquanto Mare tenta aguentar o peso sufocante das Pedras Silenciosas, o resto da Guarda Escarlate se organiza, treinando e expandindo. Com a rebelião cada vez mais forte, eles param de agir sob as sombras e se preparam para a guerra. Entre eles está Cal, um prateado em meio aos vermelhos. Incapaz de decidir a que lado dedicar sua lealdade, o príncipe exilado só tem uma certeza: ele não vai descansar enquanto não trouxer Mare de volta.



Ao ler o livro Espada de Vidro, de fato estava muito ansiosa pela continuação e confesso que fiquei frustada nos capítulos em que Mare estava aprisionada, uma intensa monotonia. Raros são os acontecimentos cruciais, mas a autora realmente não deixou dúvidas sobre a personalidade deturbada do rei Maven e sua obsessão por Mare.

Estava apreensiva com o desenvolvimento da história, pois percebi nestes primeiros capítulos que a autora transmitiu uma ideia de que o personagem era supervalorizado até mesmo em seus maiores defeitos. Não que isso seja um ponto fraco, mas convenhamos que ultimamente o vilão está se sobressaindo como o renegado, coitadinho e que precisa de atenção especial e aceitação enquanto o mocinho é um “água com açúcar”.

(E o que posso dizer dos relatos de Cameron “socorro” que garota mais insuportável!)

Mas a cereja no bolo realmente se deu quando Mare e Cal (meu lindo príncipe desprezado) enfim se reencontram e todas as nossas dúvidas são postas de lado com esse marco na história. A ação começa a se desenrolar mais a partir deste ponto e somos instigados a pensar em quem realmente está por trás do Comando, da Guarda Escarlate, ou desta guerra que está muito mais para sede de poder do que um grito de liberdade dos vermelhos e a destruição da monarquia prateada.

Sinto cheiro de coisa grande! (“ou Mare e sua desconfiança me contaminou” hahahaha)

Que Victoria nos surpreenda na próxima sequência e por favor não me decepcione pois estou com os dedos cruzados aqui torcendo por meu casal e ansiosa para saber se minhas especulações estão certas.



E que comessem os jogos! Façam suas apostas... rsrs

Por Danny Barreto

terça-feira, 25 de abril de 2017

Resenha do livro: Eu estive aqui - Gayle Forman - Editora Arqueiro

"Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo... Como não podia ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal? "


Foto Instagram @literaria.raposinha Campanha Setembro Amarelo

Como alguém inteligente, popular, altruísta e com um futuro brilhante desiste de viver? Como uma pessoa que ama os outros desiste de amar a si mesma? Acredito que essas e muitas outras perguntas não são apenas relacionadas a Meg, seus parentes e amigos, mas também aqueles que perderam um ente querido dessa maneira. 


O livro é inspirado em uma história real, e escrito pelo ponto de vista de Cody, e é tão envolvente que nos leva a ficar inconformados juntamente com a protagonista, mas também mostra como é possível superar a tristeza provocada pelo luto. A autora descreve com maestria a jornada de uma amiga que não se conforma com a morte de alguém tão próxima a ela, e que parte corajosamente em busca de respostas para o mistério que envolve o suicídio. 

Quanto mais Cody avança confrontando as pessoas próximas a Meg, mais ela percebe que as coisas não são o que parecem ser. Meg realmente estava sozinha nisso ou alguém a persuadiu? Além de resolver as incógnitas, ela precisa se perdoar, e perdoar a amiga para seguir em frente. 

A leitura certamente é daquelas que faz o leitor olhar para dentro de si mesmo e refletir. Recomendo para todas as pessoas que se encontram sem esperança, para aqueles que já passaram por uma perda dessa forma, e para todos aqueles que gostam de ler livros impactantes. Eu já li o célebre Se eu ficar e Para onde ela foi e amei, mas Eu estive aqui é excelente, um dos meus favoritos da vida. 💓


Por Michele Barreto